LEVE OS EXCESSOS NA ESPORTIVA

A partir dos desfiles de primavera- verão no Hemisfério Norte, tudo leva a crer num cenário pós-crise para 2014, ou que o setor de moda tenta superar dias sombrios invertendo a tendência de minimalismo por uma era de excessos, fantasia, brilho e técnicas artesanais sobre materiais tecnológicos.

A recessão econômica nos Estados Unidos e Europa levou jovens consumidores a procurarem meios alternativos de ter acesso a peças inspiradas em itens das passarelas por um preço muito abaixo do mercado, investindo na customização.

Nos desfiles desta estação, este “faça você mesmo” parece ter levado as marcas a buscarem inspiração em referências utilizadas pelos consumidores e blogueiros para a personalização, resgatando técnicas artesanais e investindo, ao mesmo tempo, em materiais tecnológicos, de difícil acesso no mercado e que, combinados a um mix de materiais inusitados, fazem frente à busca da satisfação proporcionada pela customização. A dificuldade de reprodução imediata parece ser o foco principal para evitar que os consumidores comprem produtos de menor preço para personalizá-los.


Leveza e transparencia permitem trabalhar camadas, como fez a Fendi nos desfiles da Primavera Verão 2014


Plataformas e Flatformas pedem investimentos em tecnologia para leveza, conforto e segurança. (Dolce & Gabbana).

A fusão do manual com a tecnologia no vestuário e nos acessórios durante os últimos desfiles exemplifica essa necessidade de manipular a matéria-prima nesse momento de transição que direciona o olhar dos estilistas para o desejo das pessoas na personalização. Os desfiles da Prada, Fendi e Dolce & Gabbana, na Europa; e de Marc Jacobs, nos Estados Unidos, foram o retrato desta tendência: uma profusão de cores e camadas, aplicações e materiais tecnológicos, aliados aos naturais ou sintéticos.

Como um dos elementos importantes dos projetos de “faça você mesmo” é a gratificação quase instantânea – muito atraente para o consumidor final dos produtos de moda – que logo após os desfiles, em algumas horas já conseguiu reproduzir elementos utilizados pelos principais estilistas, a experiência mais rápida e agradável do conforto obtido através da tecnologia passa a ser primordial.

Uma forte tendência de inspiração sportwear traz aos acessórios determinados elementos dos calçados esportivos que só podem ser desenvolvidos a partir dos investimentos e pesquisas realizadas pelas indústrias deste segmento e difíceis de serem reproduzidas pelo consumidor final. Um exemplo é o peso cada vez menor dos calçados, buscando o maior conforto no uso. 


As geometrias dos acessórios da Missoni parecem saltar das peças com seus efeitos 3D.

Tornar o sapato mais leve através de técnicas de 3D em seus cabedais para criar um suporte estrutural, deixando de lado as camadas de sobreposições que são utilizadas para manter a unidade do desenho, propiciam cabedais mais respiráveis e, ao mesmo tempo, leves e confortáveis. Este fator é importantíssimo para a construção de geometrias que parecem “saltar” dos sapatos e bolsas nesta estação. Geometrias, aliás, que devem migrar das estampas para as tramas dos tressês em cubos, losangos e prismas, que se entrelaçarão em linhas acentuadas nas tramas.

As matérias-primas para os calçados, mais do que nunca, serão o ponto de partida para os criadores: materiais dupla face, com componentes como tecidos naturais dublados ao couro ou laminados sintéticos, neoprenes, cortes a laser em materiais mais inovadores ou tecnológicos, além de muitos e muitos adereços estão presentes.


A mistura de referências esportivas com inspirações vindas das customizações remetem a coleção da Prada a um streetwear inovador.

Os designers também estão trabalhando a concepção global do sapato, conquistando espaços nas solas e saltos nos quais conseguem, através de projetos inovadores, eliminar materiais extras que passam a não ser mais necessários por perda de função. Este desenvolvimento se deu em função das plataformas e flatformas que serão tendência na próxima estação quente. Torná-las leves e maleáveis foi o objetivo primordial. Afinal, o peso já será mesmo aumentado pelo rebuscamento das decorações.