What’s NEXT? A tecnologia e o FUTURO da/na moda

Bem-vindo à economia da experiência virtual, uma era de mudança de paradigmas e rupturas, em que o cotidiano se insere na fluidez das tecnologias digitais, resultando no avanço dos robôs, na reconstrução do humano e no crescimento de dispositivos inteligentes. Com a difusão acelerada da tecnologia, muitas indústrias estão vendo suas dinâmicas de negócios serem alteradas, desde como responder às demandas dos consumidores globais de forma instantânea, até a implementação de soluções pautadas na reconfiguração da cadeia de valor. O processo de digitalização do contemporâneo sinaliza para novas formas de consumo, interação e aprendizagem, mediadas pela integração digital de todo sistema de produção, comercialização e comunicação. Hiperconectividade e convergência consolidam-se como conceitos-chave para a decodificação do futuro, caracterizando um momento em que o uso intensivo da tecnologia tem influenciado os hábitos e atitudes dos indivíduos, sedentos por mais individualização e personalização. Uma mudança de padrões de comportamento também presente na indústria da moda, que se propõe a repensar sua relação com a tecnologia, desafiada a explorar os atributos de funcionalidade, indo além das questões estéticas e de estilo.

Recentemente, o estilista Karl Lagerfeld, da Chanel – um dos nomes mais influenciadores do mundo da moda –, buscou inspiração na tecnologia e na World Wide Web, para o desenvolvimento de sua coleção primavera/verão 2017, intitulada “Intimate Technology”. O desfile trouxe uma ambientação futurista para a passarela, por meio da reprodução de um data center, e questionou a relação do corpo, moda e tecnologia. Conforme Karl Lagerfeld, sua coleção comunica uma tecnologia íntima e não uma tecnologia fria: “Cabe a nós colocarmos alma nas máquinas”, diz o Kaiser.

Paralelamente aos movimentos high tech da indústria da moda, novas obras da ficção assumem o papel profético sobre um futuro próximo. As séries Black Mirror e Westworld consolidaram-se em 2016 entre as mais hypes e abrem caminho para uma onda de interesse pela interação homem-máquina/humano não-humano, fazendo pensar as dualidades da existência. Mais e mais objetos estão “vivos” através de sensores inteligentes, fomentando silenciosamente as informações armazenadas nas nuvens (cloud computing).

Em 2017, as experiências de realidade aumentada virtual (VR - virtual reality), realidade aumentada (AR - augmented reality) e inteligência artificial (AI - artificial intelligence) serão incorporadas com maior amplitude na comercialização de produtos e serviços, visto o recente sucesso do fenômeno do Pokémon Go. Em adição, a Internet das Coisas (loT) potencializa a difusão dos wearables (tecnologias vestíveis), enquanto a impressão 3D pode ser tão revolucionária quanto a máquina de costura. Nesta nova era digital, os elementos físicos e virtuais coexistem, sendo impossível a dissociação entre ambos. Isso é muito Black Mirror…


IRIS VAN HERPEN

NA TELINHA

Black Mirror – Criada por Charlie Brooker, é uma série de ficção científica antológica, que examina a sociedade contemporânea e aborda o lado negro da vida e da tecnologia. O título “espelho negro” (black mirror) é encontrado em todas as paredes, mesas e palmas das mãos: na fria e brilhante tela de uma televisão, um monitor, tablet ou smartphone.

Westworld – Escrita e dirigida por Michael Crichton, é uma série de ficção científica, considerada uma odisséia. Trata da aurora da consciência artificial e a evolução do pecado. Desenvolvida na intersecção de um futuro próximo e do passado reimaginado, a série explora um mundo em que o apetite humano, independentemente de ser nobre ou depravado, pode ser indulgente.

NA MODA

The North Face – Vem desenvolvendo um assistente pessoal de compras utilizando ferramentas de busca baseadas em inteligência artificial, similar à Siri, buscando melhorar o rendimento de seu e-commerce e personalizar a experiência de compra.

Iris Van Herper – Estilista holandesa, está na vanguarda do movimento moda de alta tecnologia.

Fee Real – Máscara multissensorial de realidade virtual desenvolvida para filmes e jogos 3D. Gera experiências imersivas através de aromas, efeitos do vento, calor, vapor e vibração.