Microtrend: NOWSTALGIA

Sabe aquele momento em que você está vivenciando uma experiência e imediatamente já pensa nela de uma forma nostálgica? É quase como uma sensação de saudade do agora, aquele breve instante que podemos sentir uma memória se formando. Esta é a mentalidade da tendência Nowstalgia: uma forma de olhar para o passado através da lente do momento presente, tornando possível a reinterpretação e a mistura de ideias antigas para a criação de algo emocionantemente novo. A tendência de buscar o passado vem do fascínio pelo mundo pré-Internet. E foi abordada na semana de moda de Londres (setembro de 2016) através da leitura de dois estilistas, que trouxeram para a passarela um tema em comum: memórias.
Ambas as coleções seguiram a Nowstalgia, partindo da ideia de uma colcha de retalhos formada por memórias visando a criação de algo atual.

RYAN LO 
A fantasia romântica é tema recorrente das coleções do estilista, pautadas na cultura pop e na nostalgia infantil. Durante a semana de moda de Londres, apresentou uma coleção enraizada na fantasia e nos contos de fada, trazendo para a passarela uma cartela de cores rosa-chiclete, macacões influenciados pela figura do pierrot e chapéus inspirados nos palhaços venezianos.

ASHLEY WILLIAMS 
Olhou para aquele espaço impenetrável entre a fantasia e a realidade que existe no imaginário teen. E trouxe para a passarela a reprodução de um quarto juvenil, buscando representar o refúgio preferido dos adolescentes. A estilista apresentou, ainda, quase que uma carta de amor ao seu ídolo teen, River Phoenix.
A nostalgia não só fornece uma sensação de segurança em um momento de instabilidade política e econômica, como permite interagir com elementos estéticos distantes. Nas redes sociais, o passado é interligado à cultura pop e apresentado como uma miscelânea. A era pré-Internet foi fetichizada, vide os posts recheados de nostalgia publicados na rede social Buzzfeed (por exemplo, “34 coisas que só as adolescentes dos anos 1990 sabem”), ilustrando a necessidade permanente de rever e reavaliar significantes visuais da infância.
Um cenário que sinaliza a motivação dos consumidores na busca por marcas que tragam as memórias de seus dias de glória, somadas à conveniência da tecnologia de hoje. Ou seja, uma interconectividade entre componentes nostálgicos e contemporâneos.