ELE É O CARA!

Por Bárbara Bengua

Jovem, talentoso, certeza de picos no ibope das novelas, em resumo, um verdadeiro galã. Esse é Cauã Reymond, 33 anos, um dos atores mais requisitados do momento. Apesar de todos esses predicados, atuar não estava em seus planos iniciais. Ele entrou no mundo artístico como modelo e foi em Nova Iorque que, por acaso, decidiu fazer um curso de teatro e acabou se apaixonando pela atividade. Para Cauã, o importante é contracenar, independentemente da plataforma. Em seu mais recente trabalho, a minissérie Amores Roubados, da Rede Globo, que começou a ser exibida dia 6 de janeiro, ele conta, por exemplo, que o processo de gravação foi parecido com o de cinema. “Tivemos seis meses de trabalho intenso, com uma grande equipe, para apenas 10 capítulos no ar”. Falando em filmes, o ator também decidiu, recentemente, se aventurar como produtor de longas. Já tem um em pré-produção e alguns projetos futuros.

Outra paixão do carioca é o esporte. É faixa preta em jiu-jitsu, pratica surfe e yoga. “O esporte me ajudou a ter autoconfiança, foco e disciplina. Isso sem falar nos hábitos de vida saudáveis”, resume.

Quando o assunto é moda, Cauã diz que, por ter sido modelo, é atento ao que acontece no universo fashion e acompanha os desfiles sempre que pode. Mas nada de extravagâncias. “Não sou de seguir tendências, meu estilo é básico”, avisa. Isso não quer dizer que o galã não ouse de vez em quando. Ele admite usar, às vezes, botas mais estonadas. Na hora de comprar um sapato, o item conforto está em primeiro lugar, mas um design elegante é sempre bem-vindo. Confira, a seguir, a entrevista exclusiva que o moreno de sorriso largo concedeu à revista Lançamentos:

Você estreou no meio artístico como modelo. Sempre quis seguir carreira de ator?
Não, tudo aconteceu por acaso. Trabalhava como modelo em Nova Iorque e meu pai me sugeriu ficar mais um pouco por lá e aproveitar para fazer um curso de algo que tivesse relação com minha carreira naquele momento. Foi quando procurei a Black Nexxus, uma respeitada escola de atores para cinema – e só aí descobri que o trabalho de ator nada tem a ver com o de modelo (risos). A Susan Batson, dona e diretora artística da escola, que também era coach de atores como Nicole Kidman e Tom Cruise, gostou de mim e fiquei lá por dois anos com uma bolsa de estudos. Em troca, fazia os serviços gerais da escola: limpava, consertava, atendia telefone... Quando voltei para o Brasil, fiz um teste para a tevê e não parei mais de trabalhar.

O que ficou de aprendizado da experiência de morar em Milão e Paris, trabalhando como modelo?
Foi uma grande oportunidade para conhecer outros países, outras línguas, culturas diferentes. Não teria condições de ter acesso a esses lugares nessa época se não estivesse a trabalho.

Como foi que você virou ator e qual foi seu primeiro papel de destaque na tevê?
Foi em Malhação. Logo que voltei de Nova Iorque, fiz um teste e ganhei o papel de um surfista atrapalhado chamado Mau Mau. Fazia parte do núcleo cômico, uma novidade e grande desafio para mim naquele início de carreira.

Seu pai é psicólogo e você até começou a estudar Psicologia. Por que desistiu do curso?
Comecei a faculdade por influência do meu pai. Sempre me interessei pelo assunto. Faço análise desde os 14 anos, mas não tinha certeza se queria seguir aquela profissão. Só soube de alguma coisa na vida quando comecei a atuar.

Você é faixa preta em jiu-jitsu e pratica surfe e yoga. O quão importante é o esporte na sua vida?
O esporte sempre foi fundamental na minha vida. Eu fui uma criança introspectiva, que gostava de jogar RPG, e o esporte me ajudou a ter autoconfiança, foco, disciplina. Isso sem falar nos hábitos saudáveis que trouxe para a vida adulta, pois o atleta precisa se alimentar bem, dormir cedo, acordar cedo...

Qual sua grande paixão: novela, filme ou teatro?
Gosto de poder variar entre os três veículos, que são completamente distintos um do outro. Sou totalmente apaixonado por cinema e, por isso, decidi produzir filmes. O primeiro, Azuis, baseado na obra do jornalista e poeta falecido Rodrigo de Souza Leão, está em fase de pré-produção, captação, e deve ser filmado em 2014/2015. O segundo, por enquanto, é segredo. A televisão também é um veículo mágico, com um poder de comunicação com o público impressionante, imediato, e é muito prazeroso acompanhar todo o processo. No meu trabalho mais recente, Amores Roubados, por exemplo, tivemos seis meses intenso com uma grande equipe, para apenas 10 capítulos no ar. Filmamos como cinema. No teatro fui menos assíduo. Fiz duas peças apenas, mas tenho muita vontade de voltar aos palcos.

Atualmente, você é o garoto-propaganda da Democrata. Como foi participar da campanha e o quanto você se identifica com a marca?
É sempre muito bom. A Democrata tem uma equipe de criação e marketing extremamente competente e carinhosa. As primeiras campanhas ficaram ótimas e acho que a nova será ainda mais bonita e sofisticada. Fiquei muito feliz com o resultado. Me identifico muito com a marca, pois tem calçados leves e sofisticados para todos os momentos.

Qual é a sua relação com a moda? Você costuma acompanhar desfiles, gosta de seguir tendências?
Por ter sido modelo, ainda fico muito atento ao mundo da moda e acompanho os desfiles sempre que posso, mas não sou de seguir tendências. Meu estilo é básico.

Qual modelo de calçado não sai dos seus pés?
No dia a dia, costumo usar tênis, sempre combinando com jeans e camiseta básica. E tem um modelo da Democrata que não tiro nunca dos pés, um acamurçado de cano alto. É o meu favorito.

E na hora de comprar um par, qual é a sua prioridade?
Conforto, mas sem deixar de lado o design elegante.

Você é do tipo que prefere calçados básicos ou gosta de ousar de vez em quando?
Geralmente, estou sempre com algo básico e confortável, mas me permito uma ousadia de vez em quando, como umas botas meio estonadas.

E com relação a acessório, você gosta de cintos? 
Gosto, mas, normalmente, só uso quando calço botas ou quando uso ternos.

Homem também usa bolsa. Você é adepto desse acessório? De que tipo usa? 
Bolsa também é um tipo de acessório que não costumo usar no dia a dia, apenas quando viajo. Geralmente, carrego o que preciso em uma mochila mais esportiva.

RAPIDINHAS

Nome completo: Cauã Reymond Marques
Idade: 33 anos
Altura: 1m83cm
Peso: 78 kg
Cabelos: castanhos
Olhos: castanhos
Cidade onde nasceu: Rio de Janeiro
Detesta: hipocrisia
Adora: surfar e estar com minha filha
Admira: sinceridade e determinação
Defeito: não chega a ser defeito, mas sou hiperativo
Qualidade: ser focado em tudo o que faço
Animal de estimação: sempre gostei de animais. Tive cachorros e gatos em vários momentos da vida
Perfume: não tenho um em especial
Passatempo: gosto de assistir a filmes de várias épocas, tanto no cinema quanto na televisão Mania: organização
Banda preferida: Pearl Jam
Prato preferido: gosto de peixes e carne branca em geral
Atriz que admira: Fernanda Montenegro
Ator que admira: Marlon Brando. Aqui no Brasil, Tony Ramos
Escritor(a) favorito: Rodrigo de Souza Leão é um poeta extraordinário e pouco conhecido. Ele é o autor dos livros que deram origem a Azuis, filme que estou produzindo
Vício: praticar esportes e me alimentar bem
Uma pessoa bonita: minha filha, Sofia
Um luxo: tempo
Uma frase: “Eu aprendi que a coragem não é a ausência de medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas aquele que vence o medo.” (Nelson Mandela).

Fotos: Mario Canivello, Robert Schwenck e Democrata/Divulgação.