Autoridade e conhecimento

 

Chegamos ao meio do ano de 2017. Como brasileiros, inúmeros aprendizados desde que o poder político tomou conta de todas as notícias por todos os meios – televisivos, impressos e redes sociais – onde, prontamente, somos autorizados a opinar em nossas e nas timelines alheias.

Essas atitudes dos Três Poderes – Político, Executivo e Judiciário – tem tomado proporções gigantescas em nossas vidas, nos fazendo repensar todas as nossas formas de viver. Com certeza, o agir de cada brasileiro e brasileira mudou e mudará muito no decorrer da próxima década, mas posso garantir que não é só pelo que estamos passando hoje e nos últimos 18 meses. O mundo do consumir, o mundo do varejo, o mundo do fazer coleções está mudando e mudará muito mais, faz parte da essência da moda.

A moda é o modos de ser em toda a sua amplitude e individualidade humana. Para se buscar esse conhecimento a que se ter muita humildade para saber que o conhecimento é permanente, constante e completamente volátil, afinal de contas.

GOOGLE e o We Wear Culture

O Google, grande oráculo para todos os assuntos vigentes e encorajado pelo volume de consultas de pesquisa on-line relacionadas à moda e pela crescente popularidade das exposições deste universo, através do seu Instituto Cultural, se associou a mais de 180 instituições – incluindo o Museu de Arte Metropolitano, o Museu Victoria & Albert e o Instituto de Costumes de Quioto – para realizar o projeto 3.000 anos de moda para a plataforma Google Arts & Culture.

Chamado "We Wear Culture", a iniciativa baseia-se na premissa de que a moda é cultura, não apenas roupa. Dirigido por Kate Lauterbach, gerente de programa do Google que iniciou sua carreira na Condé Nast em Nova York e depois trabalhou para J.Crew, pretende digitalizar e exibir milhares de peças de vestuário de todo o mundo, realizar exposições on-line com curadorias, convidar organizações sem fins lucrativos como museus e escolas para roteiro e compartilhar suas próprias histórias de moda, aproveitando as tecnologias como o Google Street View para oferecer experiências imersivas, como passeios virtuais de coleções de museus, entre outras experiências digitais. Tudo com a famosa curadoria que venho falando há algumas décadas.

 

FOCO: não tem tecnologia que substitua isso!

Só que tecnologia sem aplicação e eficiência vira perdição e metralhadora sem alvo. Ter foco e saber o que quer não tem inteligência artificial que substitua, assim como garra e gana em fazer acontecer. Por isso, o evento Top Shop & The Bussiness of Fashion Host The Inside Industry, realizado na Parsons School of Design sob o comando de Laura Sherman, oferecendo informações sobre moda a jovens estudantes, é tão pontual e didático.

Eva Chen, chefe de Parcerias de moda do Instagram, lembra (ou relembra!): “É ótimo se você tem um bom produto — mas é melhor ainda se você tem uma ótima história por trás dele”. Aurora James, fundadora da marca de acessórios Brother Vellies; Jen Rubio, criadora das malas Away, e a dupla Iris Alonzo e Carolina Crespo, da Everybody.World, estavam juntas para falar sobre a palavra de muitos momentos: empreendedorismo. Eis o resultado desta junção.

Cinco lições essenciais para este caminho empreendedor:

1. IDENTIFIQUE uma LACUNA no mercado – e certifique-se de que você é apaixonado por isso (Jen Rubio, malas Away);

2. Esteja preparado para TRABALHAR DURO. “Você tem de estar muito comprometido, muito determinado, pronto para desistir de tudo, pronto para perder tudo, pronto para ter todas as portas batendo no seu rosto” (Aurora James, Brother Vellies);

3. Saiba os PRÓS e CONTRAS do negócio. Faça conta e pense muito antes de tomar qualquer decisão. Seja um gestor eficaz desde o início (Iris Alonzo e Carolina Crespo, da Everybody.World);

4. Estabeleça uma IDENTIDADE com a sua assinatura. O seu DNA é a chave das redes sociais. Marcas que influenciam vendas por meio do Instagram trabalharam suas identidades visuais até serem facilmente identificáveis pelos consumidores. Com o advento do Stories, é também possível brincar com conteúdo de uma forma mais simples. Saiba criar, planejar e direcionar seu conteúdo autêntico on-line. Tudo se amplifica com essas ferramentas;

5. Aproveite, ABRACE todas as FALHAS. “Não existe só um caminho para o sucesso. É muito fácil olhar para alguma coisa e pensar: ‘Eu não sei como chegar lá’. Todas as falhas que eu tive, eu aprendi”, contou Eva Chen. “E não existe nada como experiência desperdiçada. Vá em frente sempre. Avance!

Só a PRÁTICA conduz ao SUCESSO

O interessante é que se tratam de lições dadas a uma turma que está iniciando um curso de moda, adquirindo informações de empreendedorismo. Mas vale para qualquer momento da vida, quando bate a dúvida, a incerteza, a vontade de jogar para o alto tudo e se largar por aí. Mas quando lemos a lição, tudo se faz necessário e a vida de empreendedor neste País que tenta mudar nossos princípios se dissipa no ar porque, como bem diz Peter Ducker: “À exceção da integridade, que está relacionada com o ser, as cinco habilidades da eficácia estão relacionadas ao fazer. Consequentemente, as habilidades da eficácia só podem ser adquiridas na prática continua.”

Fazer moda e fazer varejo é prática contínua. Estamos juntos e faremos o nosso melhor nos próximos seis meses em lançamentos reais de produtos a quem servimos: o consumidor.