A moda dos anos 1920, com suas melindrosas, vestidos com a cintura deslocada para o quadril, muitas pérolas, contas e franjas sacolejantes, está de volta. E o responsável por esse revival é o diretor australiano Baz Luhrmann, que resolveu mostrar ao mundo a sua leitura do grande clássico da literatura norte-americana, The Great Gatsby, de F. Scott Fitzgerald. A quarta versão (foram três filmes e um telefilme) para o cinema da tumultuada história de amor entre o personagem-título, Jay Gatsby, e a frágil socialite Daisy Buchanan, tem tudo para ser o filme-evento do ano – e cair nas graças dos fashionistas de plantão. A superprodução conta com elenco de primeira, com Leonardo DiCaprio (Titanic) no papel principal, Carey Mulligan (Drive) como Daisy e Tobey Maguire (Homem-Aranha) vivendo o personagem que narra a história, Nick Carraway.

Lançando mão de toda pirotecnia de que a indústria cinematográfica dispõe atualmente, Luhrmann transforma a narrativa, que une pitadas vintage e contemporâneas, num verdadeiro espetáculo para os olhos, a exemplo do que fez em Moulin Rouge! (2001) e Romeo + Juliet (1996). Prepare-se para assistir a imagens em 3D das  incríveis festas glamourosas promovidas por Gatsby em sua mansão em Long Island, Nova Iorque. Tudo isso com trilha sonora assinada por Jay-Z, que trouxe sua mulher, Beyoncé, Florence and The Machine, Lana Del Rey, will.i.am, entre outros nomes de peso.

Para os fãs de moda, O Grande Gatsby, cuja produção custou R$ 150 milhões, é um banquete visual. Mulher de Luhrmann e duas vezes vencedora do Oscar, a figurinista Catherine Martin contou com “uma mãozinha” mais do que especial para deixar o guarda-roupas dos personagens impecável. Miuccia Prada ajudou Catherine com o desenho de 40 vestidos, muitos deles para a personagem de Carey Mulligan, inspirados em peças do acervo da Prada e da Miu Miu. Já o guarda roupa masculino é assinado pela Brooks Brothers.

Quando o assunto são as joias, quem entrou em cena foi a Tiffany and Co, que desenvolveu toda uma coleção inspirada no filme e utilizada por seus personagens principais. 

Motivos não faltam para correr para os cinemas a partir do dia 7 de junho (previsão de estreia no Brasil) e conferir o filme, que tem tudo para se tornar mais uma obra de arte de Luhrmann, ao retratar com toda pompa e circunstância a famosa Era do Jazz. Resta saber se DiCaprio vai conseguir superar a performance e o charme de Robert Redford na versão de 1974 e se Carey Mulligan irá interpretar uma Daisy Buchanan menos pedante que a de Mia Farrow.

CARACTERÍSTICAS DA DÉCADA

- A moda na década de 20 é marcada pela libertação da silhueta feminina.
- A cintura se desloca para os quadris.
- Para esconder os seios, era usual mulheres lançarem mão de um bustiê para achatá-los.
- É a década do surgimento das sulfragistas, das mulheres que querem estudar.
- Elas estão mais atléticas, praticam esportes (a exemplo da personagem Jordan Baker) e até se bronzeiam.
- As pernas eram o objeto de desejo masculino e os vestidos permitiam que ficassem descobertas a partir dos joelhos.

 
- O cabelo la garçonne era o corte do momento.
- O sapato era o boneca, com uma tira abraçando o peito do pé.
- As pérolas são a joia da década. Aparecem em gargantilhas, longos colares, pulseiras ou brincos. 
- O design da Art Déco também é marcante nas roupas, joias e acessórios.
- As franjas cheias de contas e pedrarias dos vestidos sacodem nas festas embaladas pelo charleston.


- É quando as mulheres começam a fumar em público.
- Em se tratando de maquiagem, a boca era vermelho carmim e os olhos esfumados em cores escuras.
- Aparecem as calças pantalona, inspiradas nos marinheiros.

:: O FIGURINO
Para compor os looks dos personagens de O Grande Gatsby, a figurinista Catherine Martin pesquisou e percebeu que a década de 20 é rica em referências de moda. Desde o corte viés, os modelos sem alça, mantôs estilosos, peças com um ombro de fora, tecidos perolizados, bordados, saias com penas, golas altas, até golas em V. Entre as influências étnicas, Catherine cita os árabes, os orientais e até os egípcios.

:: AS JOIAS DA TIFFANY AND CO
Uma das joalherias mais famosas do mundo, a Tiffany and Co fez uma coleção toda inspirada no filme. Tiaras, colares, brincos, anéis, abotoaduras e pulseiras fazem parte do acervo utilizado pelos atores.

  

:: OS CROQUIS DE MIUCCIA PRADA
Miuccia Prada criou mais de 40 looks para o filme, cada um inspirado nos arquivos das grifes Prada e Miu Miu. O resultado são vestidos cheios de brilho, cobertos por cristais, franjas e lantejoulas em tons de verde esmeralda, topázio, jade e ouro. Entre os tecidos estão veludos e peles luxuosos.

   

NO CIRCUITO FASHION
Exemplo de que The Great Gatsby já causa furor no mundo fashion são as capas das revistas Vogue norte-americana (edição de maio) e Harper´s Bazaar inglesa (de junho). Ambas estampam a atriz Carey Mulligan. Na Vogue, o styling é inspirado no filme. Já na Bazaar, ela veste Prada. Quem também voltou à cena foi Robert Redford, que viveu Gatsby na versão de 1974. Ele está na capa da Esquire de abril deste ano. Portanto, espere para conferir muitos editoriais, entrevistas e publicações especiais sobre o filme.

  

:: A VERSÃO DE 1974
Com roteiro de Francis Ford Coppola e do próprio F. Scott Fitzgerald, o filme de 1974 traz Robert Redford no papel-título e Mia Farrow como Daisy Buchanan. Em seu auge, Redford é a personificação do homem elegante, resultado do seu figurino by Ralph Lauren, recheado de ternos de linho, trajes completos, chapéus Panamá e sapatos Oxford em verniz. Uma cena mantida na versão de Baz Luhrmann resume o desbunde que é o guarda-roupa de Gatsby. Diante de Daisy, ele abre portas e gavetas e começa a espalhar pela casa as centenas de peças de roupa personalizadas, vindas, a cada estação, diretamente de Londres.

 

Com produção bastante caprichada, a ala feminina também está bem servida de peças riquíssimas, como faixas de cabeça com plumas, lenços e turbantes, mantôs com estampas orientais acompanhadas das sombrinhas, leques de plumas, minibolsas bordadas, luvas, cigarrilhas, longos colares, roupas e joias estampadas com grafismos da art déco.

Para ler esta matéria na íntegra é necessário ser assinante virtual da revista Lançamentos.

EXTRA - POSTERES