Inovação para encantar o cliente

→ Video wall

A inovação de equipamentos é uma discussão constante para o planejamento de visual merchandising no varejo. O uso de video walls (paredes que projetam vídeo ao fundo da vitrine) tem sido um recurso frequente para os mais diversos tipos de loja. O debate sobre o alto valor investido na estrutura cai por terra quando se coloca “na ponta do lápis” o aporte em adesivagens e o desperdício de material de vitrine, em detrimento de todos os recursos possibilitados pelos vídeos.

Além da atratividade da imagem em movimento, muito se tem comentado sobre os mosaicos de telas usados em algumas lojas da marca Stella McCartney – é o que podemos chamar de inovação da inovação.

→ Arquitetura de loja
O design industrial perde a estética bruta e ganha novas versões. O tom de tecnologia tem ares mais românticos e, até mesmo, mais lúdicos. O diferencial está na reformulação do tema, mantendo o metal como matéria-prima, deixando tubulações à mostra e usando trilhos para instalar a iluminação focal. Cores mais leves renovam a escolha de formas geométricas mais conceituais.

→ Endeless shopper
A inovação também pode ser apresentada na forma de conduzir a venda – e o layout de loja tem tudo a ver com isso. Endeless shopper é aquele que tem uma compra sem fim, ou seja, que não vê o pagamento como uma obrigação desprazerosa após a escolha dos seus objetos de desejo – mas que acontece de forma natural enquanto vai selecionando as peças, simulando uma sacola de compras virtual.

Enquanto grandes lojas separam os caixas em outros pavimentos ou salas, os pequenos pontos de venda têm deixado este serviço mais discreto. Os balcões dão lugar a estruturas mais sutis e que deixam o setor de pagamento quase passar desapercebido. Os empreendimentos têm usufruído de equipamentos como as telas de autoatendimento, máquinas de cartão portáteis e meios de pagamento via smartphones.

Além de ganhar em espaço de exposição, essa abordagem diminui a importância do pagamento durante a venda, deixando o cliente mais à vontade para usufruir de uma nova experiência de compra.

→ Tip: VM cultural
Versace, Chanel, Dolce & Gabbana, Dior e Valentino são os nomes de peso reunidos na mostra organizada pela Sacks Fifth Avenue e a revista Vogue. Aproveitando a aura de elegância das vésperas do baile MET Gala, a parceria mostra as relações entre a moda e religião com o título “Heavenly Bodies: Fashion and the Catholic Imagination” e conta com a organização de vitrines dentro do Instituto de Indumentária do Metropolitan Museum of Art (MET). 

A curadoria de peças icônicas cria um apelo ao simbólico, reforçando as relações entre o belo e o divino. Além das peças, vale pensar na cenografia, que apresenta ideias de iluminação e decoração suntuosas, mas contemporâneas.