Aposte na POESIA para FUGIR da vitrine óbvia

“Ser alegre é a melhor coisa que existe (...) Mas para fazer um samba com beleza é preciso um bocado de tristeza (...)” Vinicius de Moraes.


Bergdorf Goodman - Estados Unidos

A aparente contradição da maravilhosa música que abre este artigo resume tudo o que aqui quero explicar. Sendo assim, até poderia usar esta música e dizer o seguinte: “Ser um bom profissional é a melhor coisa que existe... Mas para isso é preciso ser um cidadão do mundo, com conhecimentos e um pouco de poesia no olhar. Sem isso, não se consegue traduzir além do óbvio.”


Bergdorf Goodman - Estados Unidos

A grande questão para ser um bom profissional de visual merchandising ou mesmo fazer vitrines é ter uma mente livre, desprendida de convenções e sem o vício da cópia. É preciso ter seu próprio repertório, que nada mais é do que o fruto de tudo que se viveu, leu, filmes que assistiu, viagens que fez, a paisagem que observou e por aí afora. 


Bergdorf Goodman - Estados Unidos

Nossa mente registra tudo, então, é preciso habilidade para buscar nela vivências em conjunção com a necessidade criativa que a vitrine está lhe pedindo. 

Logicamente que não estou dizendo para abrir mão da liberdade e diversidade que a internet nos trouxe, porém, ela é mais uma das ferramentas do nosso repertório.

Seria muito simples chegar aqui e falar o que é ideal para uma vitrine de inverno, mas a proposta vai além. É usar a liberdade criativa e tudo ao seu redor como fonte de inspiração.


Tsum - Russia

Quando conseguimos criar a partir de fragmentos e inspiração, poderemos dizer “EU SEI”, e isso muda tudo na sua capacidade e, principalmente, na segurança dos desafios que esta coleção trás, assim como as demais que virão.


Mulberry

Parece ser um pouco difícil, mas existem vários exercícios que ajudam neste processo, como por exemplo, este que vou passar, bastante simples:

- Pegue uma folha em branco; 
- Coloque no topo seu tema e divida a folha ao meio;
- De um lado, você escreve tudo que lhe remete a inverno, do outro, tudo sobre a necessidade (ou coleção) para a vitrine;
- Depois desta etapa concluída, comece a fazer conexões, puxando linhas de um lado para o outro, até chegar a algo coerente com a sua marca. Simples!


Dolce & Gabbana - República Checa

É preciso se perguntar o que é para você o tema inverno. No meu caso, por exemplo, o inverno é, antes de tudo, apenas uma questão climática. Portanto, sua vitrine não precisa ter veludo, madeira, tons terrosos, lareira etc. Aliás, temos uma data como outras, das quais posso dizer que objetos como bolas representam meu inverno, minha empresa é luxo e, para tanto, quero uma vitrine barroca. Quem disse que no inverno não podemos flutuar? René Descartes já dizia “Penso, logo existo!”, então, mãos à obra.

 
Christian Louboutin - Inglaterra

Laboratório é um exercício constante: criar, recriar, sempre testando novas possibilidades. Coleção x vitrine x criatividade x sedução = ser marcante e vender melhor! Aliás, pense em tendência de vitrine de maneira diferente. Quando apenas olhamos o que foi feito fora do Brasil, não estamos vendo uma tendência, e sim uma evidência de algo que uma marca já fez. Agora, misturar evidências com sua criatividade é que tornará sua marca uma provedora de tendências. A escolha está em suas mãos e na SUA CABEÇA. Uma boa vitrine é a melhor coisa que existe!