A evolução da moda plus size

Divulgação A evolução da moda plus size Por Janice Piasson - Especial
PUBLICADA EM 19/01/2018 - Redação

A moda sempre teve um papel muito importante na cultura e na sociedade em geral. As influências apresentadas nas passarelas propõem um senso crítico "apurado" no que diz respeito ao nosso corpo. Por anos, o estereótipo ideal era a magreza excessiva e a estatura esquelética. Com o passar do tempo, foi constatado que tais padrões de beleza mudam e se desenvolvem ao longo dos séculos. Sorte nossa. Eis que a multiplicidade fashionista do novo milênio fez nascer um novo segmento: o pluz size.

Já faz algum tempo que o universo da moda passou a valorizar mais as mulheres gordas e curvilíneas. Hoje podemos ser fashionistas, estilosas e bem vestidas mesmo estando acima do peso. Essa evolução, que abriu espaço para a tendência e a diversidade, vai muito além da oferta de roupas com numerações maiores. Produtoras, agências de modelos, lojistas, marketing, entre outros, já estão incluindo este nicho em suas propagandas. 

Todo esse empoderamento e consciência coletiva geram um ávido consumo que é maximizado pelas facilidades de compras atuais. Graças a marcas especializadas, que hoje nos enxergam como consumidoras de moda, deixamos de usar roupa brega e mal cortada e passamos a usar a trending topic da estação. 

Estilistas, confecções nacionais e internacionais apostam alto em pesquisa e desenvolvimento de produtos que valorizem as curvas das mulheres. Tudo isso para que possamos estar cada vez mais lindas e bem vestidas e, acima de tudo, sentirmos que estamos inseridas no prêt-à-porter. 

Aqui no Brasil, já tem uma semana dedicada somente ao universo plus size. O Fashion Weekend Plus Size está consolidado no calendário de moda do País desde 2010 e reúne as principais marcas do segmento. 

Mas não pense você que é fácil e barato tal igualdade fashion. Quem é especializado cobra caro para confeccionar peças com numerações maiores e os preços estão longe de ser compatíveis com o vestuário em geral. Os grandes magazines ampliaram algumas numerações, mas confesso que temos que contar com a sorte para garimpar roupas de qualidade. Compra virtual é sempre um tiro no escuro, uma vez que não conseguimos provar a peça. Minha dica para comprar online é escolher sempre um número maior. Após conhecer o padrão de modelagem da marca fica mais fácil virar cliente fiel.

Não podemos negar a expansão do mercado plus size e todo o empoderamento que ele representa. Liderado por mulheres que abriram espaço e marcaram território no cenário brasileiro e internacional, ele traz consigo muito mais que roupas bonitas. Aceitação, valorização e quebras de tabus movem este nicho tão significativo do mundo da moda. 

Sim, o mercado tem que evoluir muito ainda. Mas está traçando um belo caminho. Saímos das sombras e passamos a integrar o time de mulheres maravilhosas que curtem estilo e se vestir bem. Mas, acima de tudo, se amam e entendem que um corpo bonito é o que tem uma pessoa feliz dentro dele.

*Janice Piasson é executiva de contas dos veículos de moda e business do Grupo Sinos e apaixonada por moda.

Compartilhe isso:
TOPO