As donas da internet

Divulgação e Agência Fotosite As donas da internet Novas influenciadoras compartilham discursos mais profundos
PUBLICADA EM 27/11/2017 - Mary Silva

A revolução no comportamento dos consumidores de conteúdos virtuais trouxe à luz um conceito  repaginado de influenciadoras digitais. Elas vão muito além de ditar padrões de beleza, ostentar looks grifados do dia e cadeiras cativas nos front rows das fashion weeks – o que tem garantido a alegria dos social media. 

Levantar a bandeira do empoderamento nunca esteve tão em alta e nem é preciso ser um heavy user de redes sociais para saber que o nome mais importante da atualidade é tão amado quanto controverso: Rihanna. 

Protagonista de polêmicas, vítima de violência doméstica, cantora multipremiada, ativista pela educação e super-requisitada na publicidade, a artista transcende a veia pop que a consagrou. Recentemente, sacudiu o universo de beauté, com o lançamento de sua marca de maquiagem e nada menos do que 40 tons de base. Nunca se foi tão longe neste segmento em termos de diversidade.

Assinatura na Puma

Creeper Camo, Fenty x Puma

Na moda, Rihanna faz tanto barulho quanto em suas demais empreitadas. Isso desde 2014, quando assumiu a direção criativa da Puma. No ano passado, a cantora foi a primeira mulher da história a ganhar o prêmio de sapato do ano pelo Footwear News Achievement Awards, com o Creeper Camo, da Fenty x Puma. 

Para 2017, a expectativa é ainda maior. Riri concorre ao Fashion Awards, ao lado dos profissionais mais importantes da cena internacional. O resultado será divulgado em dezembro, em Londres, e Fenty x Puma disputa o título na categoria Marca Urbana de Luxo. No páreo, Gosha Rubchinskiy, Off-White, Supreme e a aclamada Vetements.

Alicia Keys e a cara lavada

Aqui, a grande pegada é a capacidade de autoaceitação. Alicia Keys é a referência de muitas jovens ao redor do globo. Nascida e criada no gueto nova-iorquino, ela construiu uma carreira sólida na música, exibindo números relevantes em vendas de discos (foram mais de 5 milhões de cópias no último ano, em meio a uma realidade de pirataria generalizada). 

Há cerca de dois anos, ela também ganha espaço na mídia por conta de suas decisões sobre a aparência – oscilando entre períodos em que aparece de “cara lavada” com fases de make supersimples. Toda montada, ela já disse que não deve mais sair.

“Eu não sou escrava da maquiagem. E também não sou uma escrava de não usar maquiagem. Eu posso escolher. É o meu direito. Acho que maquiagem pode ser uma forma de autoexpressão. Ninguém deve se sentir envergonhado pela forma que escolhe se expressar. E esse é o ponto. Se você quer fazer algo por si mesma, você deveria fazer”, disse ela, em entrevista para a Allure, em janeiro deste ano.

Essa quebra de padrões, no entanto, tem gerado um turbilhão de opiniões de toda ordem, uma vez que, para manter o rosto teoricamente limpo, a cantora já assumiu que investe algumas centenas de dólares ao mês em cremes e tratamentos estéticos.

Compartilhe isso:

GOSTOU DO CONTEÚDO?

Faça agora mesmo a assinatura digital e tenha acesso a todo o conteudo da Revista Lançamentos.

JÁ SOU ASSINANTE ASSINE A LANÇAMENTOS
TOPO