É tempo de pensar nas festas de fim de ano

Reprodução É tempo de pensar nas festas de fim de ano Lojas devem se preparar para grandes vendas
PUBLICADA EM 10/10/2017 - Mary Silva

Vem chegando o período mais importante para as vendas no varejo e é hora de preparar as lojas para potencializar os negócios. Natal e Ano Novo geram excelentes oportunidades em todos os nichos e planejamento é essencial para aproveitá-las ao máximo, conforme o docente de Moda do Senac Canoas/RS, Iran Marcon. “Toda a ação exige organização e uma certa antecedência. Para mudar o layout do ponto de venda, incluindo ambientação ou decoração temática, o ideal é, até o dia 15 de novembro, antecipar o clima e despertar desejos de consumo nos clientes”, aponta ele. E reforça que o penúltimo mês do ano é propício para este movimento, uma vez que não reserva uma data de apelo comercial significativa.

Para começar a pensar sobre as mudanças no visual da loja, vale considerar o aumento da movimentação nesta época. “É preciso pensar no perfil majoritário de cliente: ele gosta de exclusividade e diferenciação? Valoriza o preço? Busca equilíbrio entre custo e benefício? A partir desta análise é que será definido o layout e tipo de exposição”, aconselha Marcon.

Ainda de acordo com o especialista, deve-se privilegiar a facilidade de acesso, espaços de circulação e, especialmente o conforto. Isso porque é comum neste período o consumidor adquirir suas peças, em algumas situações, por meio de self-service, em que ele escolhe os itens e faz a compra sem apoio de um consultor. “Expor produtos em promoção na entrada da loja ou em local de destaque na vitrine, devidamente sinalizados e de forma que chamem a atenção, também é bastante eficaz”, indica.

***

Para se diferenciar em meio à ampla oferta, Iran Marcon garante que tudo começa com uma boa decoração, que esteja de acordo com o perfil do ponto de venda e dos clientes que o frequentam. Neste sentido, ele lembra o potencial dos diversos eventos de fim de ano. “A exposição de produtos que configurem kits, com os itens envoltos por bonitas caixas e embalagens de presente, facilita a vida dos compradores. Posicionar bolsas, cintos e acessórios próximos aos calçados, formando combos como sugestões de uso, pode aumentar as chances de vendas adicionais”, reforça Marcon.

As condições especiais de pagamento também merecem destaque estratégico. A pedida, segundo o professor, é ser comercial, sem esquecer o lado conceitual das datas de dezembro. “Enfatizar a magia e oferecer vantagens são grandes diferenciais”, pontua. Atendendo a diferentes gêneros e faixas etárias, uma exposição de sucesso deve incluir opções para todos, em quantidade proporcional de elementos. A dica de Iran Marcon é evitar a poluição visual, focando mais em qualidade do que quantidade. Para tal, aponta a divisão em setores como uma solução segura. Já para as lojas com mais de uma vitrine, vale dividi-las por segmentos – feminino, masculino, infantil, com subdivisões por nichos de estilos, cores ou modelos.

***

Clássicos SEMPRE certeiros

A identidade natalina é universal e bem-vinda para o comércio. O desafio, na opinião de Iran Marcon, é não cair na mesmice e repetir a fórmula em todos os anos no visual merchandising. “Existem clientes conservadores, que se identificam com este estilo, que é facilmente compreendido por todos os perfis sociais. Não podem faltar muitas luzes (principalmente em lojas de rua, onde esta iluminação pode espalhar-se externamente, pela fachada) e todo espírito lúdico que o momento pede. Porém, não precisamos, necessariamente, encher a vitrine de bolinhas de isopor imitando neve e expor sandálias de verão, pois fica um pouco incoerente”, aponta. Outro ponto importante é lembrar de que a época festiva remete também às comemorações de ano-novo. Desta forma, uma vitrine mais genérica se torna igualmente interessante.

Em espaços que primam por uma aparência clean, os itens decorativos podem ser também setorizados. O especialista afirma que a ornamentação suspensa ou aérea ajuda neste contexto. Manter uma única e grande árvore de Natal, bem decorada, na entrada ou parte externa da loja, complementada com um arranjo bem elaborado no setor de pagamentos, sempre funciona. “Não é necessário ficar no óbvio e pensar somente no Papai Noel, árvore e trilogia cromática verde-vermelho-dourado. Estrelas e pacotes de presente podem contar a história, assim como a base em branco incrementada com dourado ou prata costuma passar um ar elegante e festivo”, explica.

***

É válido ressaltar que a época de fim de ano traz um considerável aumento no número de pessoas circulando dentro das lojas. Por isso, caso a ideia seja elaborar um evento ou momento especial, a máxima do menos é mais reina absoluta. “Em geral, não é a melhor hora para algo grande e complexo, pois se pode desfocar e gerar até mesmo um tumulto desnecessário. Há inúmeras opções para gerar engajamento e transformar a experiência em algo inesquecível”, orienta o profissional. Sugestões práticas, como painéis decorados para que as pessoas façam selfies, campanhas de doação de brinquedos, alimentos ou calçados, um Papai Noel interagindo e posando para fotos com clientes e, até mesmo, pacotes diferenciados para compras de presentes estão entre as soluções que se encaixam neste raciocínio.

Com a equipe motivada e bem treinada, as ações tendem a gerar bons resultados em vendas, conforme o docente. “Focar em atendimento carinhoso, agilidade e cortesia valem para todos os períodos. É importante que o gestor não cobre apenas números e metas, mas esteja junto, atendendo, gerando engajamento e promovendo a aproximação e o clima cordial entre todos. Como motivação, vale apostar em estímulos como premiações por produtividade ou volume de vendas, que podem ser diários, semanais ou ao fim do período”, complementa.

***

CRESCIMENTO NAS vendas e VAGAS temporárias

O final de 2017 deve registrar aumento nas vendas do varejo e na abertura de vagas temporárias, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A entidade estima a contratação de 73,1 mil pessoas entre setembro e dezembro – avanço de 10% em relação ao ano passado. Em relação ao volume de vendas, o avanço deve ser de 4,3%, o equivalente à movimentação financeira 
de R$ 34,3 bilhões.

Empresários OTIMISTAS

Estudo do SPC Brasil e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) aponta que a maioria dos empresários do varejo e serviços no País aposta em incremento de 1% no volume de vendas para o final de ano. O número é expressivo na comparação com 2016, quando essa expectativa era pessimista e os lojistas aguardavam uma queda de 4,6%.

***

Comercialização de calçados em alta

O varejo brasileiro de calçados obteve crescimento de 7,1% no volume de pares comercializados e de 9,6% na receita de vendas de janeiro e julho de 2017, conforme o Termômetro IEMI, do Instituto de Estudos e Marketing Industrial, de São Paulo. O levantamento mostra que, em julho, o segmento vendeu 72,8 milhões de pares, volume 3% menor do que o de junho, mas que não comprometeu o desempenho positivo dos primeiros sete meses de 2017 (alta de 7,1%). Nos últimos 12 meses, o volume de pares vendido é 1,2% menor do que o dos 12 meses anteriores.

A receita de julho chegou a R$ 4,3 milhões, 3,4% inferior à de julho. No ano, porém, é 9,6% maior do que em igual período de 2016. Nos últimos 12 meses, a variação também é positiva: 2,1%. O preço médio do calçado vendido em julho foi de R$ 59,03, ligeiramente inferior (0,17%) ao de junho, mas 4,5% superior ao de julho de 2016. Os primeiros indicadores do Termômetro IEMI mostram que, em agosto, o preço médio subiu 0,43%, alcançando R$ 59,28. As informações são da Associação Brasileira de Lojistas de Artefatos e Calçados (Ablac).

Para ter na vitrine!

Elas

A pegada deste alto verão é ultrafeminina e vale investir em modelos no aclamado rosa, do millennial ao pink, para as fashionistas e também para as mais românticas. O handmade, costurado com elementos de aspecto natural, também está em alta, assim como o full plastic. Para os adornos, lenços e mais lenços – estampados e coloridos, para garantir alegria ao visual.

Eles

No dia a dia, boa parte dos homens precisa usar sapatos formais e tradicionais. Mas, nos momentos de lazer, nada os impede de apostar em modelos confortáveis e charmosos. Chinelos, sandálias e slides são as companhias perfeitas, assim como mocassins e tênis. Destaque também para produtos inovadores, com informação de moda. Entre os hits, estampas camufladas e mix de texturas.

Kids

A moda da estação pede cor e vibração e, para as pequenas fashionistas, a aposta é o mood tropical. Na paleta, amarelo, laranja e o pink, em diversos tons, não podem ficar de fora. Estampas, laços e detalhes com brilho também são highilights! Já a cartela de cores do estilo náutico é clássica e item obrigatório no look dos meninos neste verão! Modelagens abertas e confortáveis estão no topo da preferência, com espaço garantido para sandálias e tênis.

 

Luz da LuaBoaondaAkazzo

 

Ferracini 24hRiderWest Coast

 

 

 

AmorecoBibiKlin

Compartilhe isso:
TOPO