O retorno dos velhos sucessos

Agência Fotosite O retorno dos velhos sucessos Hits do passado rompem a linha do cafona e voltam às tendências MAIS FOTOS
PUBLICADA EM 27/11/2017 - Mary Silva

A metáfora “é bonito ser feio” nunca fez tanto sentido na moda. Chegou a vez de tirar do fundo do armário velhos sucessos, como pochetes, peças bufantes e botas brancas, e também aquelas combinações exóticas, a exemplo dos calçados abertos usados com meias. Se a inspiração em tendências de temporadas passadas é o que conduz o ciclo fashion, o retorno destas informações às passarelas e looks é natural. A diferença é que agora vemos elementos de estilo, dos quais ainda nem tivemos tempo de sentir saudade, voltando com força.

“A moda sempre busca inspiração em décadas anteriores. Era de se esperar que a vez dos anos 1990 chegasse. Nos causa estranhamento, por ser um período que muitos de nós presenciamos e usamos estes itens, que logo foram considerados cafonas”, explica a professora do curso de Moda da Universidade Feevale (Novo Hamburgo/RS), Ananda Sophie Quadros de Andrade.

Será que vai pegar por aqui?

Na cena internacional, as catwalks e o street style comprovam que a pegada do momento é cheia de brilho, cores vibrantes e leituras bem próximas do literal das décadas de 1980, 1990 e início dos anos 2000. Um revival controverso, mas que toma fôlego a cada nova produção que pipoca nas redes sociais e sites especializados. “Acredito que alguns itens serão adotados, se não tal qual lançados, de forma mais suave, reinterpretados para o gosto das brasileiras. As estampas, por exemplo, são sempre bem aceitas por aqui”, reforça Ananda.

Coloque na vitrine

Quem quiser se destacar no varejo deve ter pelo menos alguns dos novos queridinhos da moda na exposição. Conforme a docente, por mais que, historicamente, o público daqui assimilasse as novidades com certo atraso em relação ao consumidor do hemisfério norte, esta realidade vem mudando rapidamente. 

“Com o acesso que se tem à informação, somos bombardeados com novas propostas diariamente nas redes sociais e logo nos acostumamos com o que, de início, achávamos que não usaríamos”, analisa. E acrescenta que o lojista precisa estar atento às mudanças de comportamento de seu cliente, aproveitando todas as oportunidades. “De uma forma ou de outra, a brasileira vai adotar essas modas, mesmo que reinterpretadas. É preciso ter alguns destes itens no mix para que todos entendam que a loja está atualizada. São peças que chamam atenção e podem ser usados em vitrines” orienta.

Flats em prol do empoderamento

Mais do que tendências inspiradas em memórias afetivas dos designers e do próprio público-alvo das marcas, os movimentos fashion atuais andam na direção dos discursos políticos. A pauta do empoderamento também está intrínseca nos detalhes e composições dos looks saudosistas. Neste contexto, itens como as flatforms (e todo o universo de saltos baixos, blocados, plataformas e afins) levantam a bandeira do bem-estar com estilo. 

“Existe um comportamento emergente há algumas estações, relacionado ao conforto. Ao mesmo tempo, o empoderamento feminino vem ganhando força. Acho que são movimentos e comportamentos que se completam e resultam em tendências de produtos, como os saltos flat”, compara a professora da Universidade Feevale.

Compartilhe isso:
TOPO